Estabanada

desajeitada e sem modos com as palavras

muralha.

e você quis construir um muro entre nós.

começou olhando por cima

depois ficou em cima dele

vigiando

mudo

e se fazendo de surdo

com toda a certeza de que seria visto – e inalcançável.

Anúncios

de você.

de você eu tive tanto.

tanto de tantas coisas que nunca quis

tanto de tantas coisas que nunca imaginei ganhar

esperei tanto de tudo que sempre desejei

e tive tão pouco disso tudo que esperava

mas tive tudo e muito mais do que precisei

e de você, agora, eu tenho tanto

ainda

tanta saudade

tanto amor

tanto carinho

tanto desejo

tanta vontade

tanta gratidão

tantos de tantas

tantas de tantos

e entre tantos

é só você

que me faz assim.

 

Adeus.

Essa é uma carta de adeus
Hoje me despeço de alguém que conheço muito bem
mas que não reconheço mais

Passou ou talvez esteja passando
o importante é que está indo
e pra frente
Depois de anos parado
ou caminhando para trás

Você foi pra frente sozinho
enquanto eu ainda tentava te achar lá trás

Sozinha fiquei
e não importa o quanto eu corra
você se foi
e para a minha felicidade
você não me contou o caminho

Então… adeus.

Adeus a você
O você de ontem
de hoje
de sempre

Adeus ao que eu tenho certeza que não quero

Adeus.
Tchau.
Até nunca.

Não sei porque nos encontramos
mas compreendo muito bem porque nos separamos.

Era para ser e foi?

E foi
foi
se foi
já foi.

Tempo

Que lave

Que leve

Que livre.

segue reto.

não eram dois perdidos
eram duas paralelas

admite

nunca será falta do que escrever, sempre será falta de coragem pra encarar o que sai daqui de dentro.